Discurso no 3º Encontro Estadual da Mulher Republicana Paulista

Amigas e amigos da família PR,

Um grandioso dia a todas e a todos que prestigiam este aconchegante e elegante encontro das mulheres republicanas paulistas. 

Evitando se perder no tempo e prejudicar o andamento protocolar deste importante evento, preferi redigir alguns pontos do meu humilde entendimento, e interrogações, sobre o que norteia os caminhos de empoderamento da mulher, que dividirei, de forma breve, com vocês.

A parte central, o cerne dos direitos humanos e das liberdades fundamentais, está na igualdade de gêneros.

Não haverá dignidade aos indivíduos; não haverá prosperidade das sociedades; e nem haverá estado de direito; se não houver esses fundamentais valores de igualdade entre homens e mulheres.

Muitos devem perguntar: mas isso não é comum nos dias de hoje? Arrisco a responder que, infelizmente, essa não é a rotina, mesmo depois de grandes avanços já ocorridos.

E o que fazer para mudar esse cenário?

Essa interrogativa é que provoca a vontade de todos que buscam contribuir nesse processo contínuo de empoderamento da mulher, e que o PR está inserido fortemente, reforçando e qualificando, a cada ano, a cada eleição, o movimento de mulheres líderes dentro do partido, muito bem representado pelo PR Mulher do estado de São Paulo, hoje, neste forte e “estiloso” encontro estadual.

Na página da ONU Mulheres 2016, havia uma definição de empoderamento, onde entre outros pontos, dizia:

“O empoderamento significa uma ampliação da liberdade de escolher e agir, ou seja, o aumento da autoridade e do poder dos indivíduos sobre os recursos e decisões que afetam suas próprias vidas.”.

Então, o empoderamento começa pela liberdade de ser e estar; de escolher os seus caminhos. A mulher quer liberdade para ser mulher; para estar onde quiser e ser o que quiser. Liberdade para escolher os caminhos de sua vida. Ela deve escolher se quer ser dona-de-casa, policial, empresária. Ela deve decidir se quer ser uma advogada, uma juíza, se quer ser vereadora, deputada, prefeita, governadora ou presidente da república.

Portanto, ainda são muitos os desafios, para que alcancemos a igualdade de gênero em nosso país. O alcance desse equilíbrio só será efetivo com apoio de toda sociedade; quando as mulheres tiverem a real liberdade, tomando suas próprias decisões e ocupando todas as esferas de poder.

Mas tenho esperança de que as novas gerações sejam carregadas de força catalisadora, para acelerar e impulsionar as mudanças necessárias nesse longo processo de empoderamento feminino e igualdade de gênero, no Brasil e no mundo.

Quero reafirmar o compromisso do diretório estadual do PR – São Paulo, em continuar avançado no caminho de lutas para a igualdade de direitos e oportunidade entre mulheres e homens. Temos convicção, acreditamos ser essa a única maneira de alcançarmos a verdadeira liberdade e a democracia nas sociedades de todo planeta.

E, para finalizar, seguindo o que disseram nossas líderes em recente comercial partidário do PR Mulher, veiculado nas emissoras de rádio e tevê: a mulher quer ser ativa. A mulher quer ter vez. A mulher quer ter voz.

A mulher hoje tem voz, mais do que em qualquer outro tempo, mas ainda não o suficiente, não o necessário, pois ela precisa ser livre para isso acontecer, de fato.

Aqui no PR, da mesma forma que os homens, a mulher tem vez, voz e liberdade para atuar e tomar decisões nas suas funções partidárias e políticas.

O PR tem orgulho da mulher republicana e quer vê-las no alto de seus mandatos na Câmara Federal e na Assembleia Legislativa de São Paulo, a partir de 2019.

Somos da Família PR! Sabemos do nosso valor e devemos ostentar com orgulho nossas bandeiras, nossas convicções.

Aproveitem este sábado de saberes, de conhecimentos e façam a diferença nas eleições de 2018!

Muito obrigado e um excelente evento para todas e todos.

Barão de Monstequie disse: “o amor da democracia é a igualdade.”, e eu afirmo: pratiquem a igualdade e vivam a liberdade!