SIMPLESMENTE MULHER

*por Heloisa Antunes – Professora Helô

Independentemente do quanto hoje se explora o assunto de diferença entre gêneros, direitos e igualdade, ainda estamos longe de atingirmos o valor real necessário para se valorizar e aceitar essas diferenças. No entanto, este mês, devemos atenção especial às mulheres.

Divas, Amélias, Dercis, Teresas, Marias, cada uma com características e talentos próprios, mas responsabilidades semelhantes.  Lutamos pela valorização da mulher e aos poucos vamos atingindo nossos objetivos. Espaços ainda não alcançados na sociedade vão sendo conquistados e mulheres vêm mostrando seu poder de igualdade.

Como entender então essas conquistas com tamanha perfeição no desempenho, visto que não abandonaram as outras atividades que, convencionalmente, são femininas. Continuam a lavar, passar, cuidar do lar, dos filhos, ainda compartilham, quando não, assumem a responsabilidade financeira do lar.

Contudo, são as mulheres que são as maiores vitimas de violência doméstica, recebem salários mais baixos, são culpadas por receberem assédio e ainda cumprem a responsabilidade de serem as únicas responsáveis pela falta de educação de qualquer cidadão.

Vale a pena ser mulher? Claro. Vale a pena ser responsável pelo equilíbrio familiar, pela economia do lar, pela cumplicidade de decisões, pela orientação religiosa, pela sensatez nas escolhas, pela sensibilidade diante do amor, pela beleza demonstrada, pela luta dos direitos, pelo cumprimento das obrigações, por simplesmente sermos capazes, por simplesmente sermos : Mulheres.

*A professora Helô, é presidente estadual do PR Mulher-SP.